Páginas

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Descubra os benefícios do óleo de cártamo

ÓLEO DE CÁRTAMO
Pertence à família dos ácidos graxos poli-insaturados ômega-6. Contém grandes proporções de ácido linoléico (78,4%) conhecido como um ácido graxo essencial. Isso quer dizer que ele precisa ser ingerido por meio da alimentação, já que o corpo não o produz. O óleo de cártamo apresenta em sua composição a vitamina E, que desempenha um papel antioxidante importante.


BENEFÍCIOS DO ÓLEO DE CÁRTAMO
São poucos os estudos publicados na literatura científica avaliam os benefícios do óleo de cártamo em humanos. Em uma avaliação que incluiu mulheres na pós menopausa com diabetes tipo 2, a suplementação diária com 8g de óleo de cártamo por 16 semanas apresentou os seguintes benefícios:
1 - Melhora do controle do açúcar no sangue
2 - Aumento do colesterol bom (HDL-colesterol)
3 - Redução da inflamação, medido pela proteína C-reativa
4 - Aumento de um hormônio protetor para doença cardiovascular e diabetes chamado adiponectina
5 - Auxilia na redução de gordura

AJUDA A REDUZIR GORDURINHAS
Em outro ensaio clínico do mesmo grupo de pesquisadores e com a mesma população, o uso de óleo de cártamo não provocou redução do peso, do índice de massa corporal (IMC) e do total de gordura corporal, mas foi observada uma redução da gordura na região abdominal e um aumento de massa magra nas participantes da pesquisa. Não existe pílula mágica para o emagrecimento, alimentação balanceada e exercício físico são a chave para a conquista e manutenção do peso saudável.

POTENTE ANTI-INFLAMATÓRIO
Alguns autores discutem que a redução da gordura promovida pelo óleo também se dá pela substituição de gorduras ruins da dieta (gorduras saturadas e trans) pelo uso do óleo de cártamo, que possui menor potencial inflamatório. A vitamina E, potente anti-inflamatório presente no óleo, pode em parte explicar o efeito benéfico.

DISPONIBILIDADE NO MERCADO
Em cápsulas.

QUANTIDADE DIÁRIA RECOMENDADA
Até quatro gramas.

COMO INCORPORÁ-LO NA DIETA
Para que não haja modificação na sua estrutura química, é importante que seja adicionado ao final das preparações ou nas saladas. A utilização de cápsulas, ainda é discutível. Neste caso, a busca por um nutricionista para avaliar o caso é a melhor opção.

TODO MUNDO PODE TOMAR
Como se trata de um óleo essencial, o óleo de cártamo pode se consumido por todas as populações.

CONTRAINDICAÇÕES
Inclusão do óleo em uma dieta não saudável sem a alteração do consumo das gorduras ruins. Afinal, de nada adianta incluir apenas um elemento saudável sem a modificação dos hábitos alimentares.

Fonte: Barra de cereal

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Oito motivos para evitar o consumo de embutidos

Embutidos são aqueles produtos elaborados com carne picada (principalmente suína) e condimentada. Segundo a nutricionista Gisele Silveira são alimentos ricos em gordura, sal, açúcares, nitratos e nitritos, especiarias e conservantes.


PRINCIPAIS EMBUTIDOS
Salame, salsicha, salsichões, pepperoni, mortadela, presunto, chester, apresuntado, bacon, carne seca e carnes enlatadas.

CINCO MOTIVOS PARA EVITAR O CONSUMO DE EMBUTIDOS

1 – Nitritos e nitratos - São substâncias usadas para conservação dos embutidos e alguns tipos de enlatados. O aspecto negativo é que, no estômago, se transformam em nitrosaminas, composição cientificamente cancerígena, se consumida de forma continua e abundante.

2 – Aditivos químicos - Para tornar esses alimentos mais duráveis e saborosos, é necessário o uso inúmeros aditivos químicos. Os mais comuns são: aromatizantes, corantes, antioxidantes, estabilizantes, conservantes e acidulantes. Eles são responsáveis por sabor, cheiro e aspecto natural dos alimentos industrializados. Muitos podem causar alergias e intolerâncias, além de serem nocivos em quantidades muito pequenas.

3 – Alto teor de sódio - Os conservantes são substâncias com moléculas de sódio na composição, por isso oferecem riscos à saúde até para pessoas que não sofrem de hipertensão, com picos de pressão, podendo ocasionar também retenção de líquidos.

4 – Corantes - Têm a função de colorir os alimentos, para fornecer uma aparência mais agradável e apetitosa, mas podem ocasionar alergias e, a longo prazo, gerar danos ao sistema digestório.

5 – Fontes de gordura - Principalmente saturada, responsável pelo maior acúmulo do colesterol no organismo. A maioria dos embutidos tradicionais tem o dobro de gordura das carnes in natura.

EVITE O PRESUNTO MAGRO
Sim, apesar de redução de gordura, apresenta conservantes na sua composição.

QUEIJO POCKET TAMBÉM É PREJUDICIAL
As versões pocket também trazem risco à saúde em decorrência do alto teor de sódio, da grande quantidade de gordura (leia rótulos, alguns produtos apresentam quantidade significativa de gordura trans), e dos aditivos alimentares que constituem o produto.

EMBUTIDOS PREJUDICAM DIETAS DE EMAGRECIMENTO
Sim, principalmente por serem ricos em três componentes: gordura saturada, sódio e açúcar. Não três ingredientes que não devem fazer parte de qualquer alimentação saudável ou processo de emagrecimento.

TROCAS SAUDÁVEIS
- Chester/peito de peru/mortadela – Podem ser trocados por frango desfiado, ovos mexidos, pastas de leguminosas – tipo grão de bico, ervilha (liquidificadas com azeite de oliva e ervas finas).
- A carne fresca também é uma excelente opção para ser usada no lugar dos embutidos.

Fonte: Barra de cereal

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

O que você precisa saber antes de tomar whey protein

O whey protein é o nome dado para a proteína extraída do soro do leite, conhecido por ser rico em aminoácidos essenciais para o organismo, com baixa quantidade de colesterol.


1 - É uma proteína completa, por possui os aminoácidos essenciais ao nosso organismo em quantidade superior ao peixe, frango, leite, ovo ou soja, por exemplo.

2 - Ajuda a manter o sistema imunológico forte e saudável, pelo fato de conter bons níveis de glutamina.

3 - Possui rápida absorção, ideal para ser utilizado no pós-treino.

4 - Não tem altas quantidades de gordura e colesterol, geralmente encontrados nas demais fontes proteicas de origem animal.

5 - Contribui para a manutenção de ossos, por permanecer com boa parte do cálcio presente naturalmente no leite.

6 - Pode ser consumido crianças, gestantes ou idosos.

7 - Por ser comercializado em pó ou barras, pode ser transportado e consumido em qualquer horário e local.

8 - Evita o catabolismo, ou seja, a quebra de massa muscular para utilização como energia.

9 - Possui praticamente metade dos nutrientes naturalmente encontrados no leite.

10 - Sua versão isolada pode ser consumida até mesmo por pessoas com intolerância à lactose, por não conter esse tipo de carboidrato.

Fonte: Barra de cereal

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Entenda por que pessoas magras nem sempre são saudáveis

Mesmo dentro do peso ideal, alto índice de gordura corporal pode prejudicar a saúde


Quando o peso está adequado à altura é sinal de que a pessoa está saudável e não precisa perder gordura, certo? Nem sempre. O peso, isoladamente, não deve ser a única referência de saúde. Existem outros fatores que devem ser avaliados como o percentual de gordura corporal, massa muscular, quantidade de água corporal e peso dos ossos.

Segundo a nutricionista do HCor Gabriela Nunes, as pessoas dão importância somente para o peso e isso pode ser um erro.

— O peso não deve ser o único indicativo para acompanhar a evolução na prática de uma atividade física nem da saúde. Alguns indivíduos, especialmente mulheres, mesmo aparentando ser magras, apresentam um índice de gordura corporal acima de 28%, o que não é saudável — explica.

A faixa de gordura ideal é de 18 a 28% de gordura corporal para mulheres e de 10 a 20% para homens, de acordo com a bioimpedância — método utilizado para análise da composição corporal.

— Parece contraditório, mas algumas pessoas são magras e possuem índice alto de gordura corporal — acrescenta.

Quando comparamos a massa muscular e a gordura corporal de muitas mulheres magras, aparece um desequilíbrio desses componentes no corpo, revelando pouca massa muscular e um alto percentual de gordura.

— Uma pessoa com alto índice de gordura corporal, mesmo sendo magra, pode sofrer as mesmas consequências de saúde que uma pessoa acima do peso, como o aumento de colesterol, da hipertensão arterial, desenvolvimento de diabetes, maior chance de infarto agudo do miocárdio, entre outras, especialmente se houver acúmulo de gordura na região abdominal — explica Gabriela.

Algumas dietas restritivas acabam prejudicando os músculos, que viram fonte de energia para um organismo "desesperado". Assim, o corpo forçado à escassez de alimentos estoca o máximo de gordura possível. O resultado é a queda da massa muscular e o aumento da gordura corporal.

Portanto, não é correto desejar um peso específico e sacrificar o corpo, pois isso pode ser prejudicial à saúde. O peso ideal vai depender de diversos fatores, como a idade, o sexo, a altura, a atividade física, a história do peso habitual da pessoa, entre outros.

Para ter um corpo saudável, é preciso conhecer a sua composição corporal. Especialmente os praticantes de atividade física devem saber o seu percentual de gordura corporal e de massa muscular e quais são os valores adequados a cada modalidade esportiva, pois isso também é variável. Existem vários métodos para a determinação da proporção corporal, a bioimpedância e o uso de adipômetro são os mais comuns. As fórmulas prontas não são confiáveis e também não se deve querer ter os mesmos percentuais de gordura de atletas profissionais.

— Números impostos acabam gerando uma busca inalcançável que causa muita frustração e faz com que as pessoas desistam de uma vida mais saudável — afirma a especialista.

O recomendável é procurar um nutricionista, investir em uma reeducação alimentar de acordo com a necessidade de cada pessoa sem incentivar dietas radicais.

— Quando existe um equilíbrio entre massa muscular e gordura corporal, o indivíduo aumenta o metabolismo, reduz o percentual de gordura do corpo, além de prevenir inúmeras doenças como osteoporose e problemas cardíacos, entre outros benefícios — finaliza a nutricionista.

Fonte: Bem-Estar

Descubra os benefícios da água alcalina para a sua saúde

O que é água alcalina? Qual a sua composição nutricional?
É aquela que tem um ph superior a 7, possui um teor de cloro e flúor extremamente reduzido, não possui metais pesados e compostos orgânicos indesejáveis.
Para se obter os benefícios de saúde e beleza pelo consumo, a água alcalina deve possuir um ph entre 9 e 10, superior ao do corpo humano, que encontra-se em torno de 7,5.



Como descobrir o ph da água?

Basta procurar a tabela nutricional no rótulo das águas engarrafadas. A água alcalina pode ser bicarbonada (com bicarbonato de sódio) ou acrescida de outros minerais para alcançar um ph mais elevado ou obtida através de filtros especiais que reduzem a quantidade dos contaminantes da água, como o cloro, flúor e outras substâncias indesejáveis.
Evidentemente, a bicarbonada ou a acrescida de minerais, não deve ser a de escolha. E, o método de filtragem, deve ser a ionização, por preservar a alta concentração de minerais naturais da água e ser a maneira que proporciona a maior redução possível de contaminantes e substâncias indesejáveis.

Qual é a diferença da água alcalina para a água mineral?
A composição quanto ao ph, teor de flúor, cloro e outros componentes. A água mineral pode ser natural ou adicionada de minerais, geralmente possui ph abaixo de 7,5 e contém elevadas quantidades de flúor. Pode conter compostos orgânicos, substâncias que prejudicam o equilíbrio hormonal e toxinas provenientes do plástico onde estão envasadas, todos com poder deturpador da nossa saúde.

É verdade que a água alcalina ajuda a prevenir doenças?

Sim, a qualidade da água que consumimos é um dos principais fatores de prevenção de doenças, e a alcalinidade da água exerce importante papel na água saudável. Está cientificamente comprovado que a estrutura molecular da água que circunda as nossas células determina, em última instância, saúde ou doença. Com uma água de qualidade, podemos melhorar nossa saúde, prevenir e auxiliar no tratamento de doenças.

O que dizem esses estudos?
Eles comprovam que a maioria das doenças crônicas desenvolvidas no corpo humano são facilitadas pela presença de um meio ácido. Diariamente, nosso metabolismo produz resíduos ácidos que devem ser retirados do organismo para não aumentar o estímulo a alterações celulares e doenças. Assim, quando ingerimos uma água com ph ácido estamos prejudicando o esforço que nosso corpo faz para neutralizar esses ácidos, e, com isso, em vez de prevenir doenças tomando água, estamos facilitando a sua instalação. Nada mais justo, então, contribuir com o funcionamento natural do nosso corpo, pois quando esse é otimizado, a doença é curada ou prevenida.

Dez benefícios da água alcalina
1 – Previne e auxilia no tratamento de problemas de tireoide: estudos confirmam que o consumo excessivo de flúor e cloro prejudica a absorção de iodo e pode interferir negativamente na saúde da tiroide, contribuindo para o hipotireoidismo, uma alteração glandular que facilita o ganho de gordura corporal, baixa a imunidade, produz descontrole na temperatura corporal.

2 - Previne o câncer: a reação química do cloro com ácidos húmicos e fúlvicos, derivados da decomposição de matéria orgânica proveniente das margens dos rios, resultam nos Trihalometanos ou THM’s, resíduos considerados cancerígenos. Estudos comprovam que o consumo diário de 2 litros de água com THM durante 40 anos aumenta a probabilidade de se contrair câncer de bexiga em 70%. Após 60 anos, em 100%. A alcalinização da água reduz a quantidade dos THM´s, e assim, auxiliam na prevenção do câncer.

3 - Previne o ressecamento dos cabelos: pois reduz o contato com o cloro

4 - Auxilia no tratamento da pele: funciona como um adstringente, evitando o ressecamento e proporcionando uma limpeza mais profunda.

5 - Previne e auxilia no tratamento da osteoporose: a acidose é uma das causas de osteoporose. Quando tomamos líquidos muito ácidos (refrigerantes e águas com ph ácido, por exemplo) cria-se uma situação metabólica no nosso corpo que estimula a perda óssea. Assim, ao ingerirmos uma água alcalina estamos reduzindo a retirada de cálcio dos nossos ossos.

6 - Tem um poder de hidratação celular muito superior, pois possui minerais adequados à nutrição celular e isso facilita a sua condutibilidade.

7 - É um potente desintoxicante corporal: uma vez que os íons presentes na água sequestram as toxinas presentes em nosso corpo.

8 - Melhora a capacidade de reflexo motor em atletas: por produzir uma melhor condutibilidade de impulsos nervoso e maior poder de oxigenação celular.

9 - Melhora a disposição: pela produção energética que a ionização produz.

10 - Melhora a capacidade de memória : pela desintoxicação por metais pesados e pelo seu maior poder de oxigenação celular.

Como podemos obter uma água alcalina?
A melhor maneira de obtenção de água alcalina ainda é através de filtros ionizadores, que comprovam a redução dos componentes que acidificam e contaminam a água sem redução na quantidade de minerais e prejuízo no seu poder de hidratação.
Para o banho, existem filtros de carvão ativado que podem ser colocados no chuveiro e retirarão grande parte do cloro da água. Sua pele e cabelo agradecerão!

Dicas
60% do nosso corpo é composto por água, portanto, ela é a nossa principal matéria prima! Se desejamos ser saudáveis, o primeiro passo em uma reeducação alimentar é saber escolher uma água de qualidade para consumo!

Fonte: Barra de cereal

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Descubra a importância do ômega 3 para a sua saúde

O ômega 3 é uma gordura que encontramos na alimentação e em forma de suplementação. Existem duas substâncias anti-inflamatórias nele que proporciona os benefícios que são o DHA e EPA. É a gordura presente no salmão, na sardinha e em outros alimentos.


IMPORTÂNCIA PARA A SAÚDE
Existem estudos que relatam todos os benefícios que o ômega 3 proporciona a nossa saúde, desde de redução no potencial inflamatório do organismo a redução de triglicerídeos

10 BENEFÍCIOS DO ÔMEGA

1 - Reduz a inflamação do organismo gerado pela má alimentação, pela falta de exercícios

2 - Possibilita o aumento do colesterol bom

3 - Diminuição dos triglicerídeos

4 - Estudos relacionam que o EPA e o DHA melhoram a depressão e ajudam na recuperação de dependentes de drogas

5 - Melhora a memória – Estudo revela que ratos que memorizavam um labirinto esqueceram o caminho após serem alimentados com uma dieta rica em fast food. Após os cientistas incluírem o ômega 3, eles conseguiram recuperar a memória

6 – Reduz a glicemia pois aumenta os níveis de adiponectina (hormônio que está pouco ativo em pessoas com sobrepeso e obesas). Quando temos baixas doses de adiponectina na corrente sanguínea, ocorre um aumento no desenvolvimento da resistência a insulina e doenças cardiovasculares

7 - Reduz o risco de desenvolver artrite pela redução da inflamação no organismo

8 - É termogênico, pois atua no metabolismo basal, ou seja gasta mais calorias

9 - Tem potencial de hipertrofia, pois dentro da musculatura atinge uma enzima que chamamos de mTOR, que proporciona a síntese proteica muscular (aumento de músculos).

10 - Protetor das articulações, principalmente para esportistas que praticam exercícios de impacto.

ALIMENTAÇÃO
Infelizmente não conseguimos ingerir a quantidade diária recomendada de ômega 3 por meio da alimentação. O ideal é ingerir em torno de 3 a 4 g diariamente e isso não ocorre.

IMPORTÂNCIA DA SUPLEMENTAÇÃO
Através da suplementação, conseguimos atingir os níveis adequado de ômega e aumentamos a quantidade de DHA e EPA na corrente sanguínea mais facilmente.

SUPLEMENTOS INDICADOS
O ômega 3 do óleo de peixe é o mais recomendado.

QUANTIDADE DIÁRIA
Isso irá depender do hábito alimentar e a rotina de trabalho e de exercícios das pessoas. Costumo recomendar em torno de três gramas ao dia.

CUIDADOS
O que temos que cuidar não é marca, mas a quantidade de EPA e DHA e se o ômega é livre de metais pesados.

Como o ômega 3 é extraído do peixe que vem do mar, e o mar é contaminado, devemos ter esse cuidado. Nos rótulos dos suplementos deve vir descrito que o produto é livre de metais pesados.
Pesquisas demonstram que não existem males à saúde até porque é um produto vindo da nossa alimentação, porém, é sempre importante o bom senso e não sair consumindo potes de ômega 3. E comprar um ômega 3 de qualidade.

DICA
Não adianta consumir o ômega 3, mas comer alimentos com gorduras ruins, não fazer exercícios. Ele melhora a nossa saúde, mas não é milagroso.

Fonte: Barra de cereal

Descubra os 10 benefícios da batata doce

Quais são as características da batata doce?

A batata doce é um carboidrato complexo de baixo índice glicêmico, o que significa que sua absorção é mais lenta, liberando glicose na corrente sanguínea aos poucos e sem estimular muito o hormônio chamado insulina (responsável pelo aumento da fome e pelo acúmulo de gorduras). Rica em fibras, ela também é fonte de ferro, vitamina C e potássio, além de apresentar alto teor de vitamina E, conter vitamina A e C.


10 benefícios da batata doce

1 - Fornece energia para o treinamento, auxilia na queima de gordura e no ganho da massa muscular porque libera a glicose no sangue lentamente

2 - Ajuda a controlar a diabetes porque tem baixo índice glicêmico

3 - Auxilia no emagrecimento pois diminui o apetite pela riqueza em fibras

4 - Fortalece o sistema imunológico porque tem boa quantidade de vitamina A

5 - A vitamina A age como antioxidante e atua na manutenção dos ossos, tecido epitelial

6 - Reduz o colesterol total e auxilia na digestão devido seu teor de fibras

7 - Faz bem para a pele graças a vitamina E

8 - Ajuda a prevenir câncer por seu alto teor de vitamina A

9 - Auxilia na formação de colágeno e previne anemia graças à vitamina C

10 - Regula a pressão arterial e reduz cãibras também pela vitamina C

Trata-se de um carboidrato especial? Por quê?

Infelizmente muitas dietas que estão na moda pregam o corte de carboidratos da alimentação para emagrecer de forma mais rápida. Mas esses alimentos são responsáveis por dar energia, por isso não devem ser eliminados da dieta, especialmente se você pratica atividade física. Se a ideia é perder peso, invista em carboidratos “do bem”, como a batata doce.
Com um baixo índice glicêmico – a energia contida nela é liberada gradualmente no organismo – é capaz de aumentar a sensação de saciedade. Além disso, ela não ocasiona picos de insulina que é o que acontece com carboidratos simples.

A batata doce é interessante para quem quer perder peso? Por quê?

Pelo baixo índice glicêmico e por ser rica em fibras promove uma ótima saciedade. E tem apenas 116kcal em 100g. O grande responsável por esse alimento favorecer a dieta é o amido resistente, que, apesar de ser um carboidrato, se comporta como uma fibra insolúvel – ou seja, resiste às enzimas do intestino delgado, que não conseguem digeri-lo. Ele também atrai as moléculas de gordura e de açúcar, fazendo com que sejam absorvidas mais devagar.

Qual a diferença da batata doce para …

… a batata e o arroz branco?
A batata doce se trata de um carboidrato complexo, e o arroz branco é um carboidrato simples, sem fibras, degradado rapidamente e proporcionando menos saciedade. É como se a batata doce fosse o arroz integral e a batata inglesa fosse o arroz branco. É mais ou menos assim que eles se equivalem em relação ao seu efeito no organismo.

… a mandioca?
Possuem as mesmas características e benefícios para a dieta. Ambas ricas em fibras promovendo o mesmo tipo de liberação de energia no organismo. Assim como qualquer carboidrato, elas aumentam os níveis de serotonina – o neurotransmissor que age nas regiões do cérebro responsáveis pela sensação de bem-estar, mas a mandioca e a batata-doce são campeões.

… o macarrão?
Seria o mesmo que comparar o macarrão ao arroz branco e a mandioca ao arroz integral ou ao macarrão integral ou à batata doce.

Qual é a quantidade diária recomendada?

Não tem uma dose diária recomendada. Ela deve estar calculada dentro do plano alimentar de acordo com o objetivo de cada um.

Como podemos preparar a batata doce?
Ela pode ser cozida, assada, na forma de purê e de chips. Servem as mesmas preparações que a batata inglesa.

Fonte: Barra de Cereal

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Descubra os benefícios do whey e as variações

O que é o whey protein?
É a proteína do soro do leite. Após extrair a caseína do leite, o líquido remanescente é o soro, que é processado e purificado, restando o concentrado proteico. O whey tem o peso molecular leve, fazendo com que se tenha uma absorção mais rápida.


Sete benefícios do whey protein:
1 – Auxilia na recuperação mais rápida dos músculos
2 - Auxilia na construção de massa muscular
3 - Rico em aminoácidos essenciais
4 - Tem uma absorção rápida
5 - Proteína de alto valor biológico em razão do fornecimento total de aminoácidos em quantidade e proporções adequadas
6 – Auxilia na manutenção da massa muscular
7 - Auxilia na redução da ruptura muscular pós treino

Por que ele é recomendado?
Os suplementos são indicados quando existe uma dificuldade na ingestão de quantidades adequadas de alimentos e nutrientes. Além disso, o whey é indicado por ter uma absorção mais rápida, auxiliando na recuperação, manutenção e aumento muscular.

Quais são as vantagens do whey protein?
Por ter uma absorção rápida facilita a recuperação, manutenção e construção de massa muscular mais rapidamente.

Todo mundo pode tomar whey?
Podem ser utilizados, desde que ingeridos nas quantidades adequadas para que não haja sobrecarga dos rins e fígado. Pessoas com intolerâncias devem cuidar para adquirir o suplemento que não haja determinado componente. Exemplo: intolerante à lactose, podem optar pelo whey protein isolado.

Quais os cuidados que devemos ter com o whey?
Cuidar a quantidade de proteína, carboidrato e gordura no rótulo. A lista de ingredientes é em ordem decrescente. O primeiro ingrediente é aquele que está em maior quantidade no produto e o último, em menor quantidade.
Pessoas com alergias ou intolerâncias a componentes que possa conter no produto, devem escolher whey sem o determinado componente. Exemplo: glúten, lactose.

Qual a importância de se ingerir a quantidade indicada pelo nutricionista?
É importante ingerir a quantidade indicada, por que o nutricionista tem conhecimento para calcular e indicar a quantidade adequada de proteínas diárias por quilo de peso, quantidades adequadas para cada tipo de exercício, e quantidade adequada de suplementos. Se ultrapassar essa quantidade ideal, não terá beneficio algum, apenas o risco de sobrecarga hepática e renal.

Tipos de whey

Concentrado - Fornece em torno de 70% a 80% de proteína (dependendo do produto e fabricante). Contém outros componentes além de proteína que atrasam a digestão (absorção é mais lenta, comparado a outros tipos de whey). Não é indicado para intolerantes à lactose.

Isolado - Whey com maior qualidade por conta do processo de extração. Apresentando até 95% de concentração de proteínas, baixa quantidade ou isenta de gordura e carboidratos. Conta com menos de 1% de lactose.

Hidrolisado - Concentra cerca de 90% de proteína. Tem absorção mais facilitada. Pode conter traços de gordura e carboidratos.

Superdica da nutricionista
Utilizar o whey protein no pós treino auxilia na recuperação, manutenção e aumento de massa muscular. Dependendo do objetivo, pode ser utilizado, também, ao acordar.

Fonte: Barra de cereal

Confira 10 benefícios do amendoim, mas não exagere na quantidade

IMPORTÂNCIA DO AMENDOIM
Diminui o risco de doenças cardiovasculares. É rico em ácidos graxos insaturados, fonte de proteína vegetal, fibras, contém micronutrientes e antioxidantes.



10 BENEFÍCIOS DO AMENDOIM
1 - Promove saciedade – por ter uma consistência mais endurecida, precisa ser mais mastigado, fazendo com que a leptina (hormônio da saciedade) fique nos níveis ideais
2 - Protege o coração – contêm nutrientes que ajudam a diminuir o colesterol ruim (LDL)
3 - Retarda o processo de envelhecimento – contém resveratrol (antioxidante)
4 - Reduz gordura da região abdominal – contém ômega 3 (ácido graxo que impede a formação de novos estoques de gordura)
5 - Evita câimbras – por ser rico em potássio
6 - Protege a membrana celular – por ser rico em vitamina E
7 - Participa do trabalho muscular – por ser rico em magnésio
8 - Ajuda na prevenção de doenças como o câncer – por conter resveratrol
9 - Atua na formação de tecidos – por conter magnésio em sua composição
10 - Ajuda a reduzir gordura da região abdominal e flancos – por ser de baixo índice glicêmico

PODE ENGORDAR
Se for consumido em grande quantidade pode, sim, aumentar a gordura corporal. Cerca de 100g (equivalente a um pouco mais de 6 colheres de sopa de amendoim) contém 600kcal.

AUXILIA NO EMAGRECIMENTO
Ajuda a emagrecer se for consumido em quantidades adequadas, pois por conter fibras, promove a saciedade, evitando o consumo de outros alimentos em excesso. Ajuda a reduzir gordura da região abdominal por conter ômega 3 e por ser considerado um alimento de baixo índice glicêmico.

QUANTIDADE RECOMENDADA
De 15 a 30 gramas diárias (equivalente a uma ou duas colheres de sopa).

COMO CONSUMI-LO
Pode ser consumido no lanche do meio da manhã, no lanche da tarde, e em algumas preparações saudáveis.

CUIDADOS
Que o amendoim não contenha sódio. Consumir na forma natural, e não em preparações como paçoca ou pé de moleque, que contêm muito açúcar em sua composição.

DICA
Consumindo na quantidade adequada – uma a duas colheres de sopa por dia – você terá ótimos resultados vindos do amendoim, como a redução de gordura da região abdominal.

Fonte: Barra de cereal

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Conheça os dez mandamentos do coração saudável

No Brasil, cerca de 300 mil pessoas morrem anualmente devido a doenças cardiovasculares como infarto, acidente vascular encefálico (AVC), insuficiências cardíaca e renal ou morte súbita, o que significa 820 mortes por dia, 30 mortes por hora ou uma morte a cada dois minutos.


Saiba as principais mandamentos para cuidar da saúde do seu coração e evitar essas doenças:

1 - Diga não à obesidade e controle o seu peso
A obesidade aumenta o risco de diabetes, hipertensão, apnéia do sono e diversos outros fatores que contribuem para o desenvolvimento de doenças do coração

2 - Consulte o seu médico periodicamente
As doenças do coração são silenciosas e o acompanhamento médico constante é fundamental para a prevenção

3 - Meça a sua pressão arterial com freqüência
A pressão alta surge quando o coração precisa exercer um esforço maior para fazer circular o sangue através dos vasos sanguíneos. A pressão é considerada elevada quando está com valores iguais ou maiores que 140mmHg por 90mmHg, ou seja, 14 por 9.

4 - Diga não ao fumo
O fumo é altamente agressivo para as artérias. Ele diminui diminui sua espessura e ajuda na formação das placas de gordura, Além disso, aumenta os processos inflamatórios que aceleram o entupimento das artérias

5 - Verifique a quantidade de sal nos rótulos dos alimentos
O alto consumo de sal é uma das principais causas de hipertensão, pois ele aumenta o volume de sangue dentro das artérias e veias

6 - Diga não ao sedentarismo. Pratique esportes
O exercícios físico regular é capaz de combater a obesidade, controlar o açúcar no sangue, reduzir o colesterol ruim e diminuir a pressão arterial

7 - Escolha bem os alimentos
A alimentação saudável atua na promoção da saúde, na prevenção das deficiências nutricionais, reforça a resistência do organismo e reduz o aparecimento de doenças crônicas

8 - Saiba se é diabético
Controlar o açúcar do sangue reduz o risco de doenças do coração. O diabetes acelera o depósito de gorduras nas artérias, provacando complicações

9 - Evite o estresse
O corpo é preparado para reagir prontamente a situações de emergência e perigo a partir de adaptações como aumento da pressão arterial, hormônios (adrenalina) e frequência cardíaca. O estresse pode estimular o corpo de forma exagerada e muito constante, o que pode prejudicar a saúde

10 - Controle seu ácido úrico
Pessoas que sofrem problemas cardíacos normalmente têm as taxas de ácido úrico elevadas no sangue

Fonte: Bem-Estar

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Confira dicas de trocas de alimentos que podem ajudar no emagrecimento

Dietas restritivas ocasionam perda rápida de massa magra e podem causar efeito sanfona.


Quem está em busca de saúde também não precisa seguir uma dieta radical. É o que garante uma pesquisa feita pela Universidade de East Anglia, nos Estados Unidos, que comprovou: para entrar em forma não há necessidade de cometer sacrifícios.

Segundo a pesquisa, para emagrecer com saúde é preciso apenas diminuir a quantidade de gorduras consumidas. Na prática isso significa cortar do cardápio alimentos como bolos, queijos gordurosos, salgadinhos industrializados, fast food e fazer combinações inteligentes durante as refeições. Trocar o leite e iogurtes integrais por versões de baixa caloria, por exemplo, pode ser uma alternativa para quem sonha eliminar a barriguinha. E essas trocas alimentares saudáveis ainda podem ajudar no controle do colesterol.

O nutrólogo André Veinert diz que substituir os alimentos pode garantir melhores resultados na balança.

— O ideal é trocar alguns alimentos por outros similares, porém, eles devem ser menos calóricos. Vale ressaltar que essas trocas devem ser feitas sob orientação e muito bem equilibrada para não comprometer a saúde — explica.

Substituir os alimentos faz parte do processo de reeducação alimentar para quem está buscando a perda de peso ou apenas uma boa saúde.

— A reeducação é a melhor saída para quem quer emagrecer e não as dietas da moda. Essas dietas muito restritivas só causam sofrimento e fome, causando uma perda de massa magra muito rápida e, ao mesmo tempo, a recuperação do peso, o que consiste no efeito sanfona — afirma o nutrólogo.

Veinert recomenda comer de três em três horas para manter o metabolismo acelerado.

— Procure fazer refeições coloridas, de baixo índice glicêmico, rica em fibras e pobre em açúcar, sal, gordura saturada e trans — diz.

O nutrólogo André Veinert elaborou uma lista com os alimentos que podem ser consumidos sem culpa por quem está de dita e também quem quer preservar a saúde:

# No café da manhã

Pão branco ou Pão integral

Na dúvida opte pelo integral, pois ele é rico em fibras e aumenta a saciedade.

— O alimento integral alimenta as bactérias que moram no intestino e, quando estão bem nutridas, elas fornecem mais propionato, uma substância que está relacionada aos níveis de gordura na circulação — revela o nutrólogo.

Manteiga ou margarina

A margarina recebe vantagem porque não é gerada de gordura animal e colesterol, por isso é a melhor opção para quem deseja perder peso com saúde.

Leite integral ou desnatado

O leite desnatado garante a entrada do cálcio no organismo, o que é fundamental para os ossos. Já o leite integral é rico em gorduras e calorias.

Biscoitos recheados ou integrais

Faça uma troca saudável escolhendo o biscoito integral, que contém menos açúcar, menos gordura e mais fibras em relação aos biscoitos recheados e amanteigados.

# Almoço

Arroz branco ou arroz integral

— O arroz branco apresenta cerca de 1,2mg de fibras, enquanto o integral apresenta quase o dobro, 2,1 mg — esclarece Veinert.

O arroz integral também é aliado do coração, pois o seu consumo diminui os riscos de inflamação das artérias e de desenvolver doenças cardiovasculares, além de melhorar a circulação do sangue.

Legumes in natura ou enlatados

Os legumes in natura são mais saborosos e possuem menos sódio, boa alternativa para quem se preocupa com a pressão arterial.

Picanha ou lombo

O lombo tende a ser mais magro que o pernil.

— Para consumir a carne, limpe bem a peça antes de cozinhá-la e retire toda a gordura aparente. Essa é a melhor forma de obter os benefícios da carne — sugere o nutrólogo.

Frango com pele ou frango sem pele

A pele deve ser retirada antes do cozimento, pois quando submetidos ao calor, a gordura saturada e o colesterol da pele conseguem se dissolver e penetrar na carne.

# Lanche da tarde

Suco de laranja ou de uva

Opte pelo suco de uva, pois na casca da fruta contém o resveratrol, que atua na redução do colesterol e tem efeito antioxidante.

Bauru por peito de peru ou queijo branco

O queijo prato e o presunto contêm gordura saturada e colesterol. Procure substituí-los por um lanche com peito de peru ou queijo branco.

# Jantar

Carne vermelha ou Salmão

O salmão é rico em proteína e em ômega 3, sendo um grande aliado na prevenção de doenças cardiovasculares e até de alguns tipos de câncer. Já a carne vermelha possui muita gordura saturada e calorias.

Salada de frutas ou tortinhas

Fuja dessas tortinhas, pois a sua massa contém muita manteiga e açúcar. Opte por uma salada de fruta como sobremesa que é muito mais saudável.

Fonte: Bem-Estar

Chá de hibisco é nova aposta para enxugar medidas

A moda dos chás aponta uma nova tendência: o chá de hibisco. Atualmente, a planta que origina a bebida vem sendo utilizada como coadjuvante no tratamento da obesidade e na modulação do equilíbrio orgânico, pois é rica em flavonoides, da mesma maneira que o suco de uva, o vinho e o chá verde.

A nutricionista Fernanda Granja diz que os benefícios do hibisco são inúmeros. A planta possui poderosos antioxidantes - antocianinas e as catequinas - que auxiliam no combate aos radicais livres, diminuindo a ação inflamatória de doenças do coração e envelhecimento da pele. Além disso, é rica em ácido ascórbico, a vitamina C.

Mas, segundo a nutricionista Fernanda Granja, o chá de hibisco não se limita a só isso. "Estudos comprovam que a planta Hibiscus sabdariffa possui propriedades antiespasmódicas, digestivas, pode ser usado como laxante suave, corante, aromatizante e calmante", explica. Pode ser usada também para acelerar o metabolismo, diminuir a glicose no sangue e reduzir o colesterol.

O chá contém polissacarídeos em boas quantidades, açúcares redutores, como a glicose e a frutose, além de ser rico em cálcio, magnésio, niacina, riboflavina, ferro e vitamina A, ácidos como o tartárico, succínico, málico, oxálico, cítrico e hibíscico, além de quantidade significativa de fibras alimentares.

Além disso, a erva também é apontada como diurética e atua na diminuição de retenção de líquido, ajudando a enxugar as medidas corporais. "Estudos nos mostram que o hibisco teve ação benéfica na diminuição de gordura circulante no sangue e no fígado. Isso pode ter acontecido pela ação dos antioxidantes, pois elimina toxinas e substâncias que também favorecem o acúmulo de líquido no organismo", sinaliza Fernanda.

Apesar de não existirem pesquisas científicas que comprovem que o chá de hibisco tem quantidade menor de cafeína se comparado a outros chás, Fernanda diz que a prática clínica evidencializa que o componente é mesmo reduzido. Ou seja, o chá de hibisco não tem tanta cafeína quanto o chá verde e chá branco, por exemplo. "Isso é benéfico, pois se pode fazer mais uso do chá de hibisco, tendo possibilidade de se ter mais antioxidantes e propriedades diuréticas", assegura a especialista. E ainda dá para tomar uma xícara antes de dormir sem que isso interfira no sono.

Para prepará-lo sem errar, Fernanda Granja dá a receita. "Coloque a erva seca ou fresca na xícara. Derrame a água quente sobre a erva e nunca o contrário! Assim conseguimos extrair todos os princípios ativos da planta. Abafe por cinco minutos e só". A nutricionista alerta para o tempo excessivo de infusão. "Cinco minutos é o suficiente para extração dos últimos ativos da planta. Se deixar por mais tempo pode ficar amargo por causa dos taninos e não há necessidade", aconselha. Você deve estar se perguntando: e as medidas? Então, vamos a elas. "A minha receita ideal é duas colheres de chá da erva para cada 500 ml ou duas colheres de sopa para cada litro", ensina Fernanda. O preparado dura 12 horas e pode ser consumido quente ou gelado. "O que não pode é esquentar o chá de novo", diz a especialista.

Mas somente uma xícara de chá não vai te fazer linda e saudável. Para que todos os benefícios sejam absorvidos, a nutricionista diz que a quantidade diária indicada deve ficar entre 500 ml e um litro. "E essa medida deve ser fracionada para que os antioxidantes atuem várias vezes ao dia", aconselha. Isso ajuda a potencializar os efeitos já que, como explica Fernanda, antioxidantes tem vida curta, por isso precisamos deles o dia todo.

Como qualquer coisa que a gente ingere, o chá de hibisco possui contraindicações. "Se a pessoa for sensível a qualquer estímulo da cafeína, deve tomar cuidado", alerta Fernanda. Outro grupo que precisa ter cautela é o das pessoas com pressão baixa pois o chá ajuda a diminuir a viscosidade do sangue, reduzindo ainda mais a pressão. Portadores de doenças cardíacas graves também não devem fazer uso da bebida para nenhum fim.

Se os seus olhinhos brilharam ao ler os benefícios relativos à perda de peso, um aviso: a bebida não é milagrosa e deve estar sempre acompanhada de uma dieta balanceada. "Quem pretende perder peso somente com o chá não vai conseguir, é preciso investir em alimentos livres de gordura e ainda complementar com uma boa série de exercícios", finaliza Fernanda.

Fonte: Yahoo Mulher

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Qual é a importância do carboidrato antes do treino?

O carboidrato é importante no pré-treino?
É fundamental, pois é o combustível energético essencial para os músculos. Com uma ingestão adequada de carboidrato antes do treino, conseguimos disponibilizar energia suficiente para um bom desempenho, otimizando performance e retardando a fadiga muscular, conseguindo sustentar o exercício por mais tempo.

O que deve ser levado em conta durante a escolha do tipo de carboidrato que deve ser ingerido antes do treino?
Devemos levar em conta o tipo de modalidade praticada, o horário do treino e o tempo do intervalo entre o lanche pré-treino e o início do treino, para que haja tempo suficiente de fazer digestão, e consequentemente, o organismo tenha glicose circulante no sangue (combustível), que, dependendo do alimento, pode durar uma hora. Sempre procuro também considerar as tolerâncias e preferências do praticante para que ele tenha uma ótima aceitação.



Como o consumo correto pode ser benéfico ao desempenho esportivo?
Quando a ingestão de carboidrato está compatível com a modalidade praticada, tempo de treino, intensidade e frequência, além de manter os níveis de glicose adequados, o consumo correto de carboidrato irá fornecer mais energia aos músculos, evitando perda de massa muscular, retardando a fadiga aumentando o rendimento do treino.

Conseguimos desempenhar um bom treino e obter os resultados estéticos desejados usando apenas alimentos ricos em carboidrato no pré-treino, sem o uso de suplementos?
A suplementação no pré treino é indicada para aquelas pessoas que não conseguem fazer uma refeição adequada antes de malhar, ou por não ter tempo adequado entre comer e ir treinar. Nesses casos, a suplementação é muito bem-vinda por ser prática e não necessitar de muita antecedência na hora de suplementar. Mas para quem consegue fazer um bom lanche, não tem a necessidade da suplementação e se consegue ótimos resultados fazendo as escolhas certas dos tipos de carboidrato, quantidades e, claro, sempre respeitando um intervalo mínimo entre comer e ir trenar.

O que ingerir antes da atividade física?
A recomendação é preservar a ingestão de alimentos com baixo a moderado índice glicêmico (lentilhas, arroz integral, maçã, batata doce, macarrão, pão integral, aveia) para que não haja uma hipoglicemia reativa, ou seja, uma queda drástica de glicose na corrente sanguínea.

Se o pré-treino for a base de um lanche (alimento), deverá ser feito pelo menos uma hora antes da atividade para que haja tempo suficiente de fazer a digestão. Caso seja por suplemento, o mais indicado seria a maltodextrina por ter um índice glicêmico moderado, devendo ser ingerida 15 minutos antes do início da atividade. Já a dextrose e o waxy maize são opções para o pós-treino, já que necessitamos de uma reposição mais rápida onde ambos são facilmente absorvidos na fase de recuperação.

Existem vários suplementos pré e pós-treino, com nomes diferentes. Podes nos dar exemplo desses suplementos? Qual a diferença entre eles?
Entre os suplementos mais conhecidos no mercado como fonte de carboidratos, estão a maltodextrina e a dextrose. Ambos são carboidratos com diferentes tipo de absorção.
- A maltodextrina se compara ao amido de milho e tem índice glicêmico moderado, sua absorção é mais lenta e é mais indicado no pré-treino, sendo necessário apenas 15 minutos antes do inicio do treino.
- Já a dextrose, se assemelha com nossa glicose sanguínea, por sua absorção ser mais imediata, é indicada no pós-treino para acelerar processo de recuperação.

- Agora temos no mercado o carboidrato conhecido como Waxy Maize. Ele é a mais nova opção para quem busca uma performance melhor em exercícios de grande intensidade. Tem a capacidade de repor os estoques de glicogênio do corpo muito mais rápido do que uma mistura de maltodextrina ou dextrose, de bombear os nutrientes até o fluxo sanguíneo e de fornecer energia instantânea.
Também existem outros tipos de suplementos pré-treino que contemplam a maior” explosão” antes do treino deixando o corpo mais preparado para o exercício. Tem por objetivo acelerar o metabolismo, aumentar a queima de gordura e disponibilizar mais energia antes do treino. São compostos geralmente de estimulantes como cafeína, alguns minerais, creatina e aminoácidos precursores de óxido nítrico o que proporciona uma “vasodilatação” aumentando o transporte de nutrientes e fornecendo maior energia aos músculos, sustentando o treinamento por muito mais tempo.

Quando o suplemento pode engordar?
Toda a suplementação que não for prevista no cálculo da dieta e for em excesso, pode engordar. Deve-se ter uma ingestão equilibrada entre alimentos e suplementos para que se consiga obter os resultados pretendidos além de otimizar performance melhorando principalmente composição corporal. Pois não podemos esquecer que todo excesso de carboidrato ingerido, é convertido e depositado como gordura no corpo fazendo com que o aumento de peso indesejado possa acontecer caso não se tenha controle na ingestão.


Fonte: Barra de cereal

terça-feira, 13 de agosto de 2013

Confira 10 mitos e verdades sobre a atividade física

1 – A prática de pilates aumenta a massa muscular e a flexibilidade?
VERDADE. O aluno conseguirá definir a musculatura, sem aumentar muito o seu volume. O foco do pilates não é hipertrofia. O resultado não está relacionado ao número de repetições, mas pela qualidade do movimento. A consciência corporal adquirida, somada a um trabalho da estrutura musculoesquelética, permite a execução dos exercícios com eficiência e segurança.


2 – A gordura vira músculo com treinamento físico?
MITO. O exercício não destrói os depósitos de gordura. Na verdade, ele ajuda a queimar calorias provenientes da gordura. Quando você diminui o peso por meio de dieta e exercício, ocorre a redução do volume das células adiposas, ou seja, elas continuam lá, mesmo depois de você ter emagrecido. A diminuição da quantidade de células gordurosas somente é feita por procedimento cirúrgico, como lipoaspiração ou outros métodos.

3 – Correr com agasalho ajuda a emagrecer ?
MITO.
Nunca se agasalhe demais ou enrole plásticos no corpo para se exercitar. A perda de peso ocorrerá devido à desidratação. O volume é reposto imediatamente após o exercício. Roupas ideais permitem a regulação da temperatura corporal, necessária para um bom funcionamento das reações fisiológicas que ocorrem durante o treino.
Inverno - É preciso conservar o calor corporal e evitar sua perda para o ambiente mais frio.
Verão - É necessário vestir roupas que permitam a perda de calor, mantendo a temperatura do corpo confortável.

4 – Após a atividade física, você deve sentir dor para que o exercício surta efeito?
MITO. Não é preciso que você sinta dor muscular para ter bons resultados. Porém, se você está parado (a) há muito tempo, ao iniciar um programa de exercícios, provavelmente sentirá dor muscular devido ao estímulo dado ao músculo que não está acostumado com determinado exercício. Assim, o treino deverá ser progressivo, iniciando de acordo com o seu condicionamento, para não causar lesões. Atletas que trabalham no limite do condicionamento também estão sujeitos a dores e a lesões, por isso, devem fazer um trabalho com acompanhamento e orientação de um profissional competente.

5 – O treinamento funcional promove hipertrofia muscular?
MITO. O treinamento funcional apenas gera ao iniciante um ganho de força expressivo e ligeira hipertrofia, acompanhados de um condicionamento físico excelente. Mas isso ocorre com qualquer pessoa que começa a se exercitar. Então, o treinamento funcional NÃO promove hipertrofia muscular.

6 – Cãibra indica desidratação?
VERDADE. A deficiência de potássio pode ser um diagnóstico precoce demais, pois as contrações estão mais ligadas a baixos níveis de magnésio e sódio.
Além de hidratação insuficiente, falta de alongamento e excesso de esforço também são possíveis causas. Se encher de banana não é a solução para nunca mais ter cãibra. Ao sentir a dor, é melhor parar, beber água ou isotônico, alongar a região afetada e esperar a dor passar.

7 – Para aumentar a massa muscular, é necessário repouso?
VERDADE. O aumento da massa muscular não ocorre durante o exercício, mas no período de repouso. É preciso pelo menos 12 horas de descanso para o músculo recuperar o estoque de energia gasto durante o exercício e se refazer dos micro traumas ou lesões provocados pelo esforço. É esse processo que cria volume e definição muscular.

8 – É proibido correr na gravidez?

MITO. O mais comum é reduzir o volume e a intensidade dos treinos – os batimentos cardíacos não devem ultrapassar media de 140 por minuto. Mas, se a gestação vai bem e seu médico liberou a corrida, é possível ir em frente até o oitavo mês, quando o melhor é mudar para uma caminhada leve. Complementar a corrida com uma modalidade de baixa intensidade (como ginástica funcional ou localizada sem carga) é uma boa para reforçar a musculatura, pois a oscilação dos hormônios neste período deixa as articulações sensíveis e carentes de sustentação. Outra medida importante é ficar atenta a dores nas regiões lombar e pélvica, estabilidade da frequência cardíaca e perda de urina quando corre, que podem indicar se é necessário interromper ou adaptar o exercício.

9 – Exercício localizado auxilia na redução de medidas?
VERDADE. O que faz reduzir as circunferências em excesso é uma boa dieta. Atividade aeróbica também ajuda, porque aumenta o gasto calórico.
No treino aeróbico, a pessoa perde gordura no corpo todo, não apenas no abdômen. E os exercícios localizados não fazem com que a perda de gordura ocorra em uma região específica. O gasto calórico dos abdominais é irrisório, não serve para emagrecer.

10 – Quanto maior a passada, melhor a corrida?
MITO.
A amplitude da passada varia de acordo com o perfil e o tipo físico de cada corredor. Se suas pernas são curtas, por exemplo, a passada longa vai exigir um esforço excessivo. Nesse caso, o ideal é dar passadas mais curtas, em maior número. Assim, você economiza esforço e o exercício rende mais. Mesmo para quem tem pernas compridas, passadas abertas demais podem resultar em um gasto maior de energia e maior perigo de lesão por causa do impacto com o solo. Conheça seu corpo, seus limites e teste diferentes tamanhos de passada até encontrar o ritmo mais confortável.

Fonte: Barra de cereal

segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Dicas para se livrar da gordura localizada

O que é a gordura localizada? Como ela se forma?

A gordura pode se tornar localizada em alguns lugares específicos do corpo. Os mais comuns são: região abdominal e flancos e região ginóide (coxas e quadris).
A gordura da região abdominal se forma quando a pessoa não faz dieta fracionada, ou seja, não come de três em três horas. Isso acontece porque o organismo armazena gordura para os momentos que ele necessita, (de fome ou escassez), e assim ocorre a formação de gordura na região dos flancos e região abdominal.


O acúmulo de gordura na região ginóide é mais comum em mulheres do que em homens. Esse acúmulo é causado por conta do desequilíbrio entre estrógeno, progesterona, testosterona. Os hormônios femininos (estrógeno, progesterona) são os principais causadores da gordura localizada nas coxas e quadris. Esses hormônios interferem no metabolismo das gorduras, na circulação linfática, e ainda facilitam a retenção de água e sal. Os hormônios femininos coordenam a deposição de gordura no abdômen, quadril e coxas para dar ao corpo o aspecto feminino.

Como evitar a gordura localizada?
- Comer de três em três horas
- Consumir alimentos de baixa carga glicêmica (batata-doce, arroz integral e maçã) - que elevam lentamente a glicose sanguínea fazendo com que o organismo produza insulina lentamente, evitando o acúmulo de gordura.
- Ingerir frutas, verdura e legumes
- Evitar comidas gordurosas e industrializadas
- Fazer exercício físico regularmente

Como diminuir a gordura localizada?
A prática de exercício físico juntamente com uma alimentação equilibrada (com cereais integrais, proteínas magras, frutas, verduras e legumes) auxiliam na redução de gordura corporal.

Como evitar a gordura abdominal - Ingerir alimentos ricos em ômega-3. Esse ácido graxo facilita a conversão da glicose em energia, impedindo a formação de novos estoques de gordura, geralmente mais concentrados na barriga.

Como evitar a gordura ginóide - Essa dica é somente para as mulheres! Ingerir alimentos que contenham isoflavona (soja e derivados). A isoflavona é um composto da soja, também chamado de fitoestrogênio. Sua estrutura química é semelhante ao estrógeno, melhorando o equilíbrio desse hormônio, diminuindo, assim a deposição de gordura no abdômen, quadril e coxas. Homens devem evitar soja, pois no organismo, o fitoestrogênio se transforma em estrógeno (hormônio feminino), baixando os níveis de testosterona.

Existem alimentos que ajudam a queimar gordura?
Alimentos termogênicos (canela, gengibre, pimenta, grão de mostarda) alimentos aceleram o metabolismo e ajudam a emagrecer. Eles aumentam o metabolismo e a temperatura interna corporal, queimam calorias e ajudam a gordura corporal.

A redução e a prevenção da gordura localizada estão ligadas à prática de exercícios com regularidade e à alimentação saudável? Por quê?
Sim, exercícios físicos regulares e alimentação saudável previnem e diminuem a formação de gordura.

Para aquelas pessoas que sonham em ficar com o mínimo possível de gordura localizada, de que forma a alimentação pode interferir?
A alimentação pode interferir para reduzir a gordura localizada, desde que ingerida de forma fracionada e com nutrientes adequados.

Cinco alimentos recomendados para quem quer evitar e diminuir a gordura localizada?
1 - Chia
2 - Linhaça
3 - Peixe cavala
4 - Atum
5 - Salmão

O que esses alimentos proporcionam?
São alimentos ricos em ômega-3. Esse ácido graxo impede a formação de reservas de gordura na região abdominal.

Cinco alimentos que irão atrasar os ganhos?
1 - Doces
2 - Pães
3 - Biscoitos recheados
4 - Alimentos produzidos com farinha branca
5 - Alimentos muito açucarados.

Por que eles são prejudiciais?
São alimentos com alto índice glicêmico. Eles contribuem para o inchaço e o acúmulo de gordura abdominal. Esses alimentos produzem, de forma excessiva, a insulina (hormônio que favorece o acúmulo de gordura abdominal).

Dica
Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada e inclua na sua alimentação alimentos ricos em ômega 3. Esses hábitos, aliados a exercícios físicos frequentes, trarão resultados surpreendentes na perda de gordura corporal, em especial, a gordura localizada.

Fonte: Barra de cereal

Conheça a importância da fibra e saiba quais alimentos ingerir

As fibras são uma grande aliada de quem busca qualidade de vida e deseja emagrecer. Só que elas não possuem valor nutricional. Isso quer dizer que, sozinhas, não poderão ser utilizadas como substitutas de refeições, apenas adicionadas aos alimentos.
Então, qual a vantagem de incluirmos fibras em nossa dieta? A nutricionista Geórgia Bachi explica que ela auxilia no transporte do colesterol para fora do nosso organismo, reduzindo o risco de doenças do coração e regulando a função intestinal.


TIPOS DE FIBRAS

Fibras insolúveis - São aquelas incapazes de serem digeridas pelo organismo e chegam intactas ao intestino. Realizam uma espécie de limpeza, ajudando na eliminação das toxinas. Exemplos: trigo, vegetais, grãos e hortaliças.

Fibras solúveis - São aquelas que, em contato com a água, viram uma espécie de gel que dificulta a absorção da glicose da refeição. Da mesma forma, envolvem as partículas de gordura e de colesterol que são eliminadas nas fezes. Exemplo: frutas, leguminosas, aveia e cevada.

IMPORTÂNCIA DA ÁGUA
Junto com a fibra, a água estimulará o bom funcionamento do intestino, prevenindo doenças como a constipação e o câncer intestinal.


10 ALIMENTOS QUE CONTÊM BOAS QUANTIDADES DE FIBRA

1 - Feijão
Muito comum e habitual na alimentação dos brasileiros. Além de ser rico em fibras, também possui boa quantidade de proteínas e ferro.

2 - Grão-de-bico
Para quem não gosta ou não possui o habito de comer feijão, uma escolha interessante é incluir o grão-de-bico na dieta. Ele possui os nutrientes semelhantes ao do feijão, sendo também uma boa fonte de fibra.

3 - Macarrão integral
Alterar a massa tradicional pela versão integral é uma inteligente forma de inserir fibras em nossa dieta.

4 - Arroz integral
A versão integral é uma importante aliada para atingirmos as quantidades necessárias de fibra.

5 - Pão integral
Deve-se optar por aquele pão integral em que é possível verificar os grãos. Como não foram moídos e refinados, têm grandes quantidades de fibras.

6 - Lentilha
Além de ser uma importante fonte de fibra, possui boas quantidades de ferro e minerais.

7 - Aveia
Contém beta-glucana, um tipo específico de fibra com importante função de melhorar nosso sistema imunológico. Também apresenta uma boa mistura de fibra solúvel (o tipo que reduz o colesterol no sangue) e fibra insolúvel (que ajuda a manter a sua digestão em bom funcionamento).

8 - Maçã
Possui um bom valor nutricional. Não devemos retirar a casca, apenas lavá-la. Caso contrário, perderemos a maioria dos nutrientes.

9 - Castanha
Além de fibras, possui boas fontes de gordura, muito importante para o correto funcionamento do nosso organismo.

10 - Cevada
Famosa por ser matéria-prima da cerveja, é aliada da saúde do coração, pois contém beta-glucana, um tipo específico de fibra com importante função de melhorar nosso sistema imunológico.

DICA
No momento da escolha dos alimentos no supermercado, verifique se a farinha integral ou o cereal predominante encontra-se em primeiro lugar na lista de ingredientes. Isso demonstrará que é um alimento rico em fibras.

Fonte: Barra de cereal

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Saiba como incluir corretamente a granola na sua alimentação

Usada com moderação, a granola pode trazer benefícios para a nossa alimentação. Por isso, é muito importante prestarmos atenção na sua composição.


O que é a granola?
A granola é uma mistura de cereais (fibra de trigo, aveia, linhaça, flocos de arroz), frutas secas, grãos, oleaginosas (castanha de caju e castanha-do-pará). Algumas ainda são compostas também por mel e açúcar mascavo.

Qual a composição nutricional da granola?
Carboidrato, lipídeos, fibras, vitaminas (A, B1, B2, B6, B9, B12 e C) e minerais (ferro, cálcio e zinco).

A granola é amiga da dieta?
Pode auxiliar na alimentação saudável quando utilizada juntamente com outro cereal que tenha baixa carga glicêmica (ex: aveia, chia). Justamente por ter alta carga glicêmica, ela não é indicada para ser ingerida sozinha e não deve ser consumida todos os dias.

Quais os benefícios da granola?
A granola, quando usada com moderação, traz benefícios à saúde. Por ser rica em fibras, auxiliando no bom funcionamento do intestino, e, por ter vitaminas e minerais, é considerada antioxidante, que ajuda no retardo do envelhecimento.

Qual é a variação mais saudável?
É importante que se preste atenção na composição da granola, pois existem muitas variações. As ideais são as com baixa quantidade de açúcar e com teor reduzido de calorias. E as que contenham oleaginosas e grãos mais saudáveis (aveia, linhaça) ao invés de flocos de milho e pedaços de chocolate, por exemplo.

Sete cuidados devemos tomar ao comprar e ao ingerir a granola
1) Prestar atenção na composição da granola (não pode, por exemplo, conter pedaços de chocolate)
2) Deve conter oleaginosas (nozes, castanha-do-pará)
3) Cuidar a quantidade de açúcar. Quanto menos, melhor
4) Não deve conter flocos de milho
5) Que o valor de fibras seja maior que o valor de gorduras
6) Que não contenha corantes em sua composição
7) Não exagerar nas quantidades diárias. Em excesso, poderá elevar gordura corporal.

De que forma podemos incorporar a granola na nossa alimentação?
Pode ser utilizada 1 colher de sopa de granola com duas colheres de sopa de aveia no café da manhã. Muitas pessoas utilizam a granola no lanche pré-treino. Só que ela não é um bom alimento antes do treino, pois contém alta carga glicêmica. Para refeições de 30 minutos a uma hora antes do treino, o mais indicado é o alimento de baixa carga glicêmica, para manter a glicemia (açúcar do sangue) durante todo o treino, fornecendo energia até o final do exercício.

Quantidade diária?
Varia muito de indivíduo para indivíduo, mas de maneira geral, uma colher (sopa) por dia.

Contraindicação?
Celíacos não podem consumir por conter glúten e diabéticos por conter açúcar.

Fonte: Barra de Cereal

terça-feira, 9 de julho de 2013

Conheça os sete benefícios da aveia, que ajuda na perda de peso

A aveia é um cereal altamente benéfico. Está relacionado ao bom funcionamento intestinal, à diminuição e manutenção dos níveis de colesterol total e LDL-colesterol. Além de proporcionar mais saciedade, é rico em cálcio, ferro, proteínas, carboidratos e vitaminas.



Composição nutricional da aveia
Valores referentes a 100g
Calorias - 394kcal
Proteínas - 13,9g
Carboidratos - 66,6g
Fibras - 9,1g
Cálcio - 48mg
Magnésio - 119mg
Fósforo - 153mg
Ferro - 4,4mg
Sódio - 5mg
Potássio - 336mg
Cobre - 0,44mg
Zinco - 2,6mg
Vitamina B1 - 0,55mg
Vitamina B2 - 0,03mg
Vitamina B3 - 4,47mg

COMO INCORPORAR A AVEIA NA ALIMENTAÇÃO
Pode ser incluída na alimentação diária facilmente, podendo ser polvilhada por cima das frutas, iogurtes, sucos, vitaminas, bolos, sopas, panquecas, no feijão e na forma de mingau.

SETE BENEFÍCIOS DA AVEIA
1 - Auxilia no bom funcionamento intestinal por formar um gel mais volumoso e úmido
2 - Por ser rica em fibra insolúvel, é considerada um alimento funcional já que tem importante papel na diminuição dos índices de câncer de cólon
3 - Ajuda na perda de peso devido à fibra solúvel que tem a capacidade de nos manter saciados por mais tempo
4 - A ß glucana tem o poder de diminuir a absorção de gordura e açúcar, beneficiando justamente as pessoas que tem hipercolesterolemia, hipertensão e diabetes
5 - A mesma fibra ( ß glucana) ajuda a reforçar o sistema imunológico e combater infecções agindo diretamente nas células de defesa
6 - É protetora do nosso DNA, diminuindo o risco de um gene sofrer mutação
7 - Combate a depressão graças ao magnésio e às vitaminas do complexo B que atuam diretamente no sistema nervoso

VARIAÇÕES
Encontramos a aveia em 3 versões:
Flocos - Por ter o grão prensado integralmente, preserva seus nutrientes. Tem na versão em flocos finos, quando o grão é submetido à moagem
Farelo - Por ser a camada externa do grão, é a parte mais rica em betaglucanas
Farinha - Costuma ser obtida pela parte interna do grão, sendo mais pobre em fibras quando comparada com o farelo e os flocos.

ONDE ENCONTRAR
No supermercado encontramos todas as versões. Temos também produtos que são um mix de cereais, com a aveia misturada à quinoa, ao amaranto, à linhaça, ao centeio e à cevada.

Quantidade diária?
Duas a três colheres de sopa por dia.

Contraindicação?
Por ser manipulada junto ao trigo normalmente é contraindicada aos celíacos.

Fonte: Barra de cereal

Conheça oito benefícios do amaranto, que auxilia no emagrecimento

O amaranto é um grão que vem ganhando destaque pelos benefícios à saúde. Fonte de carboidrato, possui cerca de 15% de proteínas, contendo todos os aminoácidos essenciais ao organismo. Também possui fibras, cálcio, fósforo e selênio (nutriente com excelente ação antioxidante).



OITO BENEFÍCIOS DO AMARANTO
- Pode ser usado por celíacos, pois não contém glúten
- Auxilia na redução da pressão arterial
- Fonte de fibras, auxilia no controle da glicemia
- Ajuda a reduzir o colesterol
- Antioxidante, atua retardando o processo de envelhecimento
- Por conter 15% de proteínas e aminoácidos essenciais, é um alimento auxiliar na manutenção de massa muscular
- Auxilia no funcionamento do intestino por conter fibras solúveis
- Por ser fonte de cálcio biodisponível (o mais absorvido pelo organismo), é uma boa opção para ser utilizado por pessoas que possuem deficiência desse micronutriente.

AUXILIA NO EMAGRECIMENTO
O amaranto é uma ótima ferramenta para quem busca redução de gordura corporal, pois é rico em fibras solúveis, que aumenta a saciedade. Quando há consumo de fibras, evita-se a ingestão de comidas gordurosas e industrializadas que são prejudiciais à saúde. Como as fibras solúveis também são importantes para regular o funcionamento intestinal, ajuda a diminuir o inchaço abdominal.

COMO INGERIR
Como o amaranto tem sabor ameno, pode ser incorporado a várias preparações como: sopas, sucos, saladas, bolos integrais, pães integrais.

ONDE ENCONTRAR

O amaranto pode ser encontrado em lojas de produtos naturais e supermercados.

QUANTIDADE DIÁRIA RECOMENDADA
A indicação do consumo varia de pessoa para pessoa e dos objetivos que cada um busca. Podendo variar o consumo para cada indivíduo – de uma a seis colheres de sopa por dia.

Fonte: Barra de Cereal

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Conheça os cinco falsos amigos da dieta

Shoyu e pão integral podem não ser tão bons assim





Gelatina
É a queridinha da dieta por conter e baixa caloria, mas as gelatinas vendidas no mercado têm alta concentração de corantes artificiais, que inflamam as células e dificultam o emagrecimento. Uma dica é preparar gelatina incolor e adicionar suco de uva integral, que tem antioxidantes e ajuda a emagrecer, ou consumir cápsulas de colágeno, que podem ser encontradas em casas de suplemento e possuem a proteína na sua forma pura.

Adoçante
O produto pode ativar uma substância no sistema nervoso central e gerar um processo de compulsão alimentar.

Pão integral
Os pães integrais vendidos em padarias e supermercados contêm, normalmente, 90% de farinha branca e 10% de farinha integral. A branca não possui nenhum valor nutricional, pois para produzi-la a casca do trigo, onde todos os nutrientes estão presentes, é retirada. O produto final é rico em amido e tem alta carga glicêmica. Para comprar um pão realmente integral, fique atenta ao rótulo e observe se nos ingredientes a farinha integral vem antes da branca.

Shoyu
O molho shoyu é uma bomba de sódio, levando à retenção de líquido e problemas cardiovasculares. O produto também é rico em glutamato monossódico, uma substância que gera excitabilidade no sistema nervoso central, provocando ansiedade e falta de concentração. Prefira o shoyo macrobiótico (existem três marcas no mercado).

Soja
A proteína da soja é mais difícil de ser digerida e pode fermentar no estômago, sobrecarregando a digestão e causando sensação de inchaço e desconforto. Para que isso não aconteça, é mais indicado consumir a soja já fermentada, na forma de natto, ou precipitada, o tofu, como fazem os orientais.

Fonte: Eu Curto Musculação

terça-feira, 18 de junho de 2013

Conheça a forma correta de utilizar as gorduras

Saiba qual óleo é o mais indicado para cada tipo de alimento, a fim de manter suas propriedades nutricionais




Os óleos são ingredientes fundamentais para quem cozinha. Eles são utilizados para refogar os alimentos, fazer frituras ou mesmo temperar as saladas. A nutricionista Maíra Pereira Perez, do Hospital Mãe de Deus, ensina a aproveitar ao máximo as propriedades específicas de óleos e azeites:

Azeite de oliva extra-virgem (acidez máxima 1%): é rico em gordura monoinsaturada, mais que qualquer outro óleo vegetal. Fonte de compostos fenólicos, vitamina E e betacaroteno, que conferem ação antioxidante e anti-inflamatória. Sugestão de consumo: 2 colheres de sopa/dia usado em pratos frios ou saladas.

Óleo de canola: equilibrado em ômega 6 e 3, é fonte de vitamina E. Indicado para cozimento, pois apresenta alto ponto de fumaça.

Óleo de soja: fonte de ômegas 6 e 3. Pode ser usado largamente na culinária.

Óleo de gergelim: fonte de ômegas 3, 6, 9 e vitamina E. Função antioxidante que protege as células da ação dos radicais livres. Assim como o azeite de oliva, pode-se usar em saladas e pratos frios.

Óleo de linhaça: fonte de ômegas 3 e 6 na proporção ideal. Estudos mostram sua ação na redução de triglicerídeos e colesterol e também na inibição de fatores inflamatórios. Pode ser misturado na proporção de 2 de azeite para 1 de óleo de linhaça e usado para temperar saladas.

Óleo de coco: O óleo de coco é fonte de triglicerídeos de cadeia média (TCM). Após absorção intestinal, os TCM são transportados para o fígado, onde são queimados, aumentando a termogênese após a refeição. Daí sua ação termogênica, coadjuvante nos processos de emagrecimento. Porém, indica-se consumi-lo apenas sob recomendação médica ou de nutricionista.

Devemos, no entanto, atentar para a forma de utilização destes óleos. Segundo a I Diretriz sobre o Consumo de Gorduras e Saúde Cardiovascular, com exceção da utilização de óleos para a composição de alimentos frios como saladas, toda a forma de cocção deve levar em conta as seguintes orientações:

Cozimento: óleos utilizados para o cozimento de alimentos em água fervente como arroz, feijão, legumes ou outros, apresentam em geral boa resistência às alterações de calor. Os óleos vegetais são os mais indicados, mas mesmo o azeite de oliva é considerado estável a esse tipo de cocção. Entretanto, sabe-se que as propriedades fenólicas encontradas nos azeites extravirgem são bastante reduzidas e prejudicadas mesmo sob temperaturas brandas.

Frituras: É importante ressaltar que o método de fritura é capaz de atingir rapidamente temperaturas elevadas, e, dependendo da temperatura, o óleo se oxida e é capaz de agregar a si compostos tóxicos, capazes de se descaracterizarem por completo. O ponto de fumaça é uma característica crucial que marca o surgimento de compostos tóxicos no óleo, além de ser indicativo da oxidação dos ácidos graxos. Tal ponto oscila com cada tipo de óleo.

De modo geral recomenda-se o aquecimento do óleo em fogo moderado e nunca alto. Orienta-se para que, de forma alguma, se fumegue o óleo, com o objetivo de não alcançar o ponto de fumaça. Recomenda-se a não reutilização do óleo aquecido. Os óleos adequados para o cotidiano de frituras são os de soja e canola, com quantidades semelhantes de ácidos graxos mono e poli-insaturados em sua composição.

A orientação realizada por um nutricionista pode definir não apenas em relação às quantidades adequadas de gordura na dieta, como também sobre o tipo de gordura, alem de proporcionar sua combinação adequada com carboidratos, proteínas, micronutrientes, colesterol e fibras, visando uma dieta saudável e equilibrada.

Fonte: BEM-ESTAR






quinta-feira, 13 de junho de 2013

Que tipo de treino devo fazer para queimar gordura rapidamente?

Os melhores treinos para queimar gordura são aqueles que obriguem o organismo a recorrer às reservas de glicogénio e de gordura para a produção de energia.

Neste artigo, pretendo referir as variáveis que afectam a eficiência do nosso plano de perda de gordura. Ser capaz de, em determinado treino, queimar gordura mais ou menos rápido está dependente, essenciamente, de quatro factores: intensidade do treino, duração do treino, nível de condição física e refeição pré-treino.

Intensidade do treino

Quanto maior for a intensidade do treino aeróbico, mais glicogénio muscular e gorduras serão utilizadas para produzir energia. O exercício físico desempenhado a cerca de 50% do VO2máx (consumo máximo de oxigénio) recorre essencialmente às reservas de gordura (nesta intensidade, o organismo tem tempo de quebrar as gorduras para a produção de ATP, a energia do corpo). À medida que aumentas a intensidade, mais glicogénio muscular é utilizado.

Durante a prática de exercício físico desempenhado entre 50 e 70% do VO2máx, o organismo recorre ao glicogénio e à gordura numa proporção de cerca de 50/50. Quando o exercício atinge uma intensidade superior a 70% do VO2máx, o corpo não consegue quebrar os ácidos gordos tão rápido quanto necessário para suprir a demanda por energia, sendo que a principal fonte de energia é o glicogénio muscular, que contribui com cerca de 75% do total de energia produzida.
Duração do treino

Se os teus treinos forem longos (superiores a 45 minutos), as reservas de glicogénio tenderão a esgotar-se. Em média, os teus depósitos de glicogénio (quando cheios ou quase) são suficientes para aguentar um treino que dure entre 1h30 e 3 horas.

No treino intervalado de alta intensidade (HIIT), que mistura exercícios aeróbicos com anaeróbicos, as reservas de glicogénio dão apenas para treinos que durem entre 45 e 90 minutos. Para actividades meramente anaeróbicas, o glicogénio muscular fornecerá energia para treinos que durem entre 30 a 45 minutos (uma vez que o metabolismo anaeróbico é extremamente ineficiente).

Se isto acontecer, o organismo começará a recorrer às proteínas do músculo, quebrando-as em aminoácidos para produzir energia e para manter níveis normais de glicose no sangue.

Nível de condição física

Como resultado do treino, o organismo procede às adaptações necessárias de modo a tornar-se mais eficiente e conseguir responder melhor da próxima vez que lhe for exigido esforço. Uma destas adaptações consiste na produção de enzimas (como a lipoproteína lipase) capazes de quebrar as gorduras e utilizá-las na produção de ATP.

Também o número de capilares sanguíneos aumenta, o que aumenta a eficiência do organismo em transportar os ácidos gordos para as células musculares. Outra destas adaptações induzidas pelo exercício físico é o aumento do número de mitocôndrias, o local na célula onde ocorrem as reacções bioquímicas responsáveis pela produção de ATP.

Resumindo, quanto maior for o teu nível de condicionamento físico, maior será a tua capacidade em “queimar gordura” e poupar o glicogénio muscular.
Refeição pré-treino

Uma dieta pobre em hidratos de carbono resultará numa menor acumulação de glicogénio muscular e hepático (é por isso que os culturistas em fase de cutting normalmente vêem a sua performance diminuída nesta fase). Esta quebra no consumo de hidratos de carbono afeta tanto o exercício aeróbico como o anaeróbico.

Se o armazém de glicogénio muscular estiver diminuído, o organismo apenas poderá recorrer às gorduras e às proteínas para a produção de ATP. Quem utilizar esta estratégia deve consumir diariamente, no mínimo, 1,8gr de proteína por quilo de peso corporal, para evitar a perda de massa muscular.

Fonte: Tá Fitness

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Cinco benefícios e cinco cuidados que você precisa saber sobre suplementos alimentares

Especialistas alertam para os riscos do uso sem orientação adequada. O exagero na suplementação pode sobrecarregar alguns órgãos do corpo. O uso inadequado também pode fazer você engordar ou não ter efeito algum.

Cinco Benefícios:

1) Você pode consumir os nutrientes necessários para o seu objetivo de forma isolada, já que muitas vezes se torna difícil consumi-los apenas através dos alimentos.

2) Praticidade! Nada mais fácil do que tomar em 1 minuto um shake de proteínas, por exemplo, ao invés de preparar um lanche mais complicado, ou ficar sem comer, o que é pior ainda.

3) Proporcionam mais energia para o treino.

4) Recuperam a fibra muscular após os exercícios, auxiliando assim, até na redução das dores musculares.

5) Complementam sua alimentação.


Cinco Cuidados:

1) Não deve substituir suas principais refeições: almoço e jantar

2) Deve ser adequado aos seus objetivos. Suplementação é individualizada, o que funciona para um, muitas vezes não funciona igual para o outro.

3) Quantidade, dosagem, e forma de tomar são fundamentais! O sucesso dos seus resultados e saúde depende disso.

4) É realmente importante escolher a marca do seu suplemento de alguma indústria consolidada, onde a matéria-prima utilizada e tecnologia empregada sejam de excelentes qualidades, além de possuírem os melhores valores nutricionais. Toda boa matéria-prima tem um custo alto para as empresas que fabricam suplementos, sendo assim, desconfie quando você os encontra por valores muito baixos, seu resultado também depende disso.

5) A compra deve ser feita através de um local de confiança e credibilidade, para garantir que as normas dos órgãos de fiscalização estejam sendo cumpridas, e que você estará adquirindo um produto original.


A seguir, a nutricionista Danielle Milhão explica as características de alguns suplementos.




BCAA

BCAA é uma combinação de aminoácidos, e aminoácidos são partículas das proteínas, eles são fundamentais para alimentar e recuperar nossos músculos. Os que encontramos no BCAA nosso corpo não produz, por este motivo, necessita ser consumido através de alimentos e suplementos. A dosagem depende da alimentação, e quando suplementado, pode-se observar a pele mais tonificada e o corpo mais durinho.
QUANDO TOMAR: após os treinos de musculação e antes dos treinos de corrida.





PROTEÍNA DE ABSORÇÃO LENTA (TIME RELEASE)

Formada por um "blend" de diversas proteínas, a sua liberação é gradual. Ideal para quem deseja, além de aumentar e definir sua musculatura, diminuir gordura corporal de forma rápida e eficiente. Seu metabolismo fica ativo por muito mais tempo, diminui a fome naturalmente e mantém a glicemia estável. Pode ser utilizada nos horários dos lanches e até mesmo após a realização dos exercícios. Uma dica interessante é utilizá-la em conjunto com um mix de fibras, para tornar a absorção ainda mais lenta e potencializar os ganhos.
QUANDO TOMAR: após os treinos de corrida e de lanche à tarde.

ALBUMINA
É a proteína da clara do ovo, proporciona maior utilização de gordura como fonte de energia e faz parte do processo de hipertrofia muscular. Pode ser utilizada em conjunto com o shake pós-treino ou em lanches e em receitas de bolos, pães e panquecas, para incrementar as preparações com uma fonte de proteínas.
QUANDO TOMAR: acrescento ao suco verde nos dias de corrida e descanso e no lanche da tarde, junto com a proteína de absorção lenta.





L-CARNITINA
É um composto proveniente de um aminoácido, que aumenta a utilização das gorduras como fonte de energia na hora do exercício. Se em conjunto com uma alimentação calibrada para os objetivos e estilo de vida da pessoa, a L-carnitina proporciona uma perda de gordura mais intensa.
QUANDO TOMAR: antes dos exercícios.

Fonte: Barra de Cereal

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Cinco benefícios do óleo de coco


Cinco benefícios do óleo de coco

1- Melhora o sistema imunológico
2- Regula a função intestinal
3- Proporciona sensação de saciedade
4- Tem ação antioxidante
5- É de fácil digestão

Mas é um alimento que deve ser consumido com restrição. A nutricionista Elenise Corbari recomenda ingerir, no máximo, duas colheres de sopa ao dia.

A seguir, leia a entrevista que a nutricionista Elenise Corbari concedeu ao Barra de Cereal:

Consumir o óleo de coco auxilia no emagrecimento?

Por conter triglicerídeos de cadeia média, é facilmente absorvido, além de proporcionar sensação de saciedade, causando diminuição do consumo de alimentos ao longo do dia, por isso contribui para o emagrecimento. Mas devemos acrescentar o óleo de coco à dieta pelos valores nutricionais. Não pelo emagrecimento.

Alguns especialistas afirmam que ele pode prejudicar a dieta. Por quê?
Por ser um alimento do grupo das gorduras, deve ser consumido com moderação, pois se for ingerido em excesso pode provocar problemas de saúde e aumento de peso.

Como as pessoas podem ingeri-lo?
Pode ser consumido puro, substituindo a gordura em receitas, como tempero nas saladas, ou em cápsulas.

Há diferença entre o óleo de coco líquido e o em cápsula?
Não. O que deve ser levado em conta é a quantidade de óleo existente em cada cápsula.

Existe alguma contraindicação?
Por se tratar de uma gordura saturada, pessoas com problemas de saúde como cirrose, por exemplo, devem evitá-lo, para não ocorrer uma sobrecarga de ácidos graxos.

Abaixo, confira a tabela nutricional do óleo de coco da Copra:
Fonte: Barra de cereal

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Cientistas criam ´cura´ para os cabelos brancos

Uma equipe de cientistas afirmou ter encontrado um tratamento eficaz contra os fios brancos. O novo método usa um composto de raios ultravioleta B ativado com luz solar e dispensa tinturas.





Os pesquisadores da Universidade E. M. Arndt, da Alemanha, e o Centro de Ciências da Pele da Universidade de Bradford, no Reino Unido, foram responsáveis pelo estudo. Primeiro, os cientistas descobriram os motivos do aparecimento dos fios sem coloração. Foi com essas informações que formularam um tratamento que combate a descoloração.


As informações foram publicadas na Nature World News. De acordo com os cientistas, os cabelos brancos aparecem devido ao acúmulo de peróxido de hidrogênio no folículo capilar. Isso causa o branqueamento de dentro para fora dos fios.
O método para atingir o acúmulo de hidrogênio pode ser feito por meio do composto de raios ultravioleta B com luz solar. A fórmula ataca a causa dos cabelos brancos ao reverter a oxidação, chamado de pseudocatalase.
O mecanismo também ajuda no tratamento do vitiligo, doença que provoca despigmentação da pele. Apesar de não causar dor ou representar perigo ao paciente, é uma doença que angustia os portadores. O desenvolvimento do tratamento eficaz para a doença tem potencial para melhorar a vida desse grupo de pessoas.

Fonte: INFO


Descubra dez dicas para minimizar a queda de cabelo

A queda excessiva pode ter outras causas que não a calvície, como anemia ou má dieta


Dias corridos, preocupações extras, má alimentação, ansiedade, estresse, e outros fatores como a genética, podem ser os responsáveis pelos tufos de cabelo que estão caindo no chão ou ficando na escova e nos travesseiros. A queda de cabelo é um problema que causa pânico em homens e mulheres e exige tratamento e cuidados para prevenir. Segundo a dermatologista Miriam Sabino de Oliveira, é normal ocorrer uma perda de 100 fios de cabelo por dia e quando a queda ultrapassa esse número ela deve ser investigada.

— A queda excessiva de cabelo pode ter inúmeras causas e muitas vezes pode não ser calvície, que é resultado de uma rarefação (afinamento) dos fios capilares. O abuso de produtos químicos, infecções, estresse, uso de medicamentos, anemia e até dieta pobre em proteínas são fatores desencadeantes da queda capilar. Mas todos podem ser revertidos quando tratados — afirma.

Para saber quantos fios estão caindo, recomenda-se fazer um teste. Segure uma mecha, puxe sem muita força e observe quantos fios caiu. A quantidade normal é de no máximo cinco fios. Caso tenha caído mais, já é sinal de uma queda preocupante.

— Se você notou uma perda de fios na escova, ao lavar o cabelo ou na hora de pentear, é importante procurar um dermatologista para fazer o diagnóstico da causa e verificar se é simples, como uma alergia a cosméticos, ou mais grave, no caso de doenças — explica a dermatologista.

Como, quando e quanto cresce o cabelo?

A perda diária de alguns fios de cabelo é um processo natural, pois todo fio tem o seu tempo de vida. O ciclo do cabelo passa por três fases:

• 1ª Anágena
É a fase de crescimento do cabelo que dura de 2 a 3 anos. Nessa fase, os fios são muito sensíveis a alterações químicas e nutricionais.

• 2ª Catágena
É a fase em que o cabelo para de crescer e o folículo começa a regredir. A duração é de 2 a 3 semanas.

• 3ª Telógena
É a fase após a involução máxima do folículo capilar. Há uma nova fase de crescimento, ou seja, conforme o novo fio vai crescendo, outros vão caindo. Dura de 3 a 4 meses.

Cabelos firmes e saudáveis

Hoje em dia, são diversas as opções para tratamento ou redução da queda de cabelo. A dermatologista Miriam Sabino esclarece quais são as soluções mais simples para driblar esse problema:

1) Reduza o seu estresse
O estresse pode ser um dos responsáveis pela queda do cabelo. Ele interrompe o crescimento do fio. Além disso, alterações no sistema imunológico causam inflamações no couro cabeludo, o que afeta o nascimento de novos fios. A melhor forma de tratar essa causa é relaxar, praticar exercícios físicos e ter uma alimentação equilibrada.

2) Use sempre condicionador
Não deixe de usar condicionador ou creme após lavar o cabelo com xampu. Eles facilitam na hora de pentear, além de tratar as madeixas.

3) Mantenha o couro cabeludo sempre limpo
É normal o cabelo cair durante o banho, pois os fios podem estar na fase telógena. O que não pode acontecer é deixar de lavar o cabelo porque a sujeira no couro cabeludo também pode causar a queda dos fios.

4) Faça exercícios físicos
Praticar atividade física também faz bem à saúde dos cabelos. Quando se pratica exercícios, se libera endorfina, o que alivia o estresse e, consequentemente, diminui a perda dos fios.

5) Cuidado com o consumo excessivo de álcool
O consumo de bebidas alcoólicas aumenta a produção de radicais livres que podem promover uma inflamação em alguns tecidos, principalmente do couro cabeludo. Dependendo da inflamação, pode haver o aumento da queda de cabelo. Além disso, o álcool faz com que o corpo exija um esforço maior para metabolização do etanol, o que gera um desgaste levando à queda capilar.

6) Evite o cigarro
O cigarro tem a capacidade de produzir radicais livres em nosso corpo, o que facilita a queda capilar.

7) Fique atenta a automedicação
A automedicação pode ser um fator desencadeante da queda capilar, assim como também pode causar sérios danos à saúde. Evite tomar remédios sem a prescrição do médico.

8) Poupe o seu tempo e garanta resultados
Não confie em receitas milagrosas para tratar o problema de queda de cabelo. Se você notou a perda de fios, procure um dermatologista para avaliar as causas e indicar o melhor tratamento.

9) Problemas hormonais
O estado nutricional do paciente é muito importante, através de uma boa alimentação é possível tratar a queda e repor as vitaminas necessárias. Já os problemas hormonais estão entre os fatores mais comuns de queda de cabelo. No caso de alterações hormonais, inúmeras podem ser as possibilidades de diagnóstico e tratamento. Por isso, é importante procurar um profissional para tratar o problema antes que se agrave.

10) Controle a ansiedade
A queda de cabelo não cessa da noite para o dia. Deixe a neurose de lado. Quando o cabelo cai devido ao aumento dos níveis de ansiedade, é preciso tentar alterar o estilo de vida.

Fonte: Zero Hora